Após as eleições brasileiras terminarem com a grande vitória do candidato Jair Bolsonaro, teremos grandes mudanças no cenário geopolítico mundial, com as forças atuantes modificando suas estratégias políticas devido ao novo rumo que o governo brasileiro terá com a posse do presidente eleito. Uma dessas forças será o bloco eurasiano, ou russo-chinês, que há tempos atua no Brasil através principalmente da China e que terá sua influência diminuída com a aproximação de Bolsonaro e o presidente americano Donald Trump. Alexandr Dugin, conselheiro do presidente russo Vladimir Putin e idealizador do eurasianismo, um sincretismo do marxismo-leninismo, messianismo russo, esoterismo e nazismo, postou ontem, dia 01 de Novembro, na sua conta do Facebook, a seguinte mensagem:

Após minhas polêmicas com o Olavo de Carvalho e hoje, com a vitória do ultra-liberal e autoritário Bolsonaro, adquiri a forte certeza que no Brasil eu apóio a esquerda.

A qual esquerda ele se refere? Com a desmoralização do PT através dos desdobramentos da Lava-Jato e o surgimento do movimento conservador brasileiro, que trouxe críticas contundentes ao Partido dos Trabalhadores e à esquerda em geral, entra em cena uma antiga estratégia comunista de fazer uma “auto-crítica” e criar um novo partido socialista com uma nova roupagem, supostamente sem os erros dos antecessores. Este partido é o PDT, de Ciro Gomes, que adotará um tom mais “democrático”, sem o viés totalitário e bolivariano do PT. As críticas do seu irmão Cid Gomes durante o segundo turno e as críticas do próprio Ciro Gomes, após terminar o pleito, mostram como a estratégia já está em andamento. É necessário se desvencilhar do PT para tomar a dianteira da oposição ao governo Bolsonaro, enquanto se limpa da sujeira do antigo aliado.

Além disso, o próprio Partido Comunista Chinês declarou apoio ao PDT para a campanha presidencial, ficando evidente que há uma aproximação dos interesses russo-chinês no Brasil através do partido de Ciro Gomes. Com a recente mensagem do Alexandr Dugin, não será um espanto se a Rússia se aproximar ainda mais do PDT. Ao que tudo indica, o Brasil será, nos próximos anos, um dos focos principais das disputas geopolíticas, sendo o eurasianismo de Putin um deles.

Dica Cultural

Para entender melhor a posição do bloco russo-chinês no cenário das disputas geopolíticas no mundo, em frente aos interesses do bloco globalista e o bloco islâmico, assim como a posição dos EUA perante a disputa dessas três forças conflitantes, ler o livro EUA e a Nova Ordem Mundial, que é um debate entre o próprio Alexandr Dugin com o filósofo brasileiro Olavo de Carvalho. É um livro essencial por oferecer fontes primárias do eurasianismo (o próprio Dugin quem está falando) e um contraponto de quem está observando as disputas com a lente de filósofo. Acerca do eurasianismo e das confusões que o sincretismo dessa denominada Quarta Teoria Política causa às mentes mais simplórias, Olavo de Carvalho escreve em seu artigo Eurasianismo e Genocídio:

Os saudosistas do stalinismo veem nela a promessa do renascimento da URSS. Conservadores aplaudem o seu moralismo repressivo soi disant religioso. Velhos admiradores de Mussolini e do Führer apreciam a sua concepção francamente antidemocrática do Estado, bem como seu desprezo racista pelos povos destinados à sujeição imperial. Esoteristas, seguidores de René Guénon e Julius Evola, julgam que ela é a encarnação viva de uma “metapolítica” superior, incompreensível ao vulgo, mais ou menos como aquela que é descrita pelo romancista (e esoterista ele próprio) Raymond Abellio, em La Fosse de Babel. Muçulmanos acabam às vezes aderindo ao projeto por conta do seu indisfarçado e odiento anti-ocidentalismo, na vaga esperança de utilizá-lo mais tarde como trampolim para a criação do Califado Universal, que por sua vez os “eurasianos” acreditam poder usar para seus próprios fins.

Não seria errado entender o eurasianismo como uma sistematização racionalizada do caos mental internacional. Neste sentido, sua unidade essencial não pode ser buscada no nível ideológico, mas na estratégia de conjunto que articula num projeto de poder mundial uma variedade de discursos ideológicos heterogêneos e, em teoria, conflitantes.

 

2 comments
  1. UM DOS PAÍSES MAIS CORRUPTOS DO MUNDO E QUE AJUDOU A DITADURA DE HUGO CHAVES E NICOLÁS MADURO COM VENDA DE ARMAS APOIAR A ESQUERDA COMUNISTA E CORRUPTA NO BRASIL NÃO É NOVIDADE NENHUMA . SÃO CANALHAS E VIVEM DE ASSASSINATOS E ROUBANDO O POVO RUSSO QUE JÁ SOFREU MUITO NAS MAÕS DE UM VLADIMIR PUTIN .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba o melhor do conteúdo livre!

Seja notificado das nossas principais notícias!

Você também poderá gostar

Durante entrevista à Fox News, Trump fala de acordo com Bolsonaro e diz: “temos 267 bilhões esperando.”

Em sua última entrevista concedida à apresentadora Laura Ingraham, do canal Fox…

Feminista incentiva mulheres a jogarem água nos homens em transportes públicos

O canal norte-americano DC Shorts publicou um vídeo em que uma feminista…

O feminismo está fazendo executivos de Wall Street fugirem das mulheres

As mulheres estão sendo isoladas no mundo corporativo graças ao movimento radical…

Parceria com Israel prova que esquerdista não entende nada de nazismo

As piruetas retóricas e a guerra linguística propagada pela esquerda durante a…